Peixoto fez contrato ‘de boca’ com Acert

Fonte: O Vale

A empresa Acert Serviços Administrativos, pivô do pedido de cassação do prefeito Roberto Peixoto (PMDB) prestou serviços ao governo de Taubaté por três meses em 2009 sem qualquer contrato formal. A atuação fantasma ocorreu entre junho e setembro de 2009, período em que o contrato vigente expirou e foi prorrogado informalmente ao custo mensal de R$ 278 mil.
A Acert era responsável pelo gerenciamento e distribuição de remédios à rede pública. O contrato com a prefeitura foi firmado em dezembro de 2008, sem licitação, por seis meses, por R$ 1,6 milhão. O tempo seria necessário para que a prefeitura elaborasse a licitação do serviço.
Para o Ministério Público, que investigou o caso, o governo fez, propositalmente, um edital falho, com o objetivo de que a licitação fosse impugnada para que o contrato com a Acert pudesse ser prorrogado, o que acabou ocorrendo.
A prefeitura e a Acert negam a irregularidade.

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Brasil, Cotidiano

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s